Trilha inca 116 resultados
bastões de trekking
Clique para classificar o artigo
Vista de Machu Picchu a partir de Intipunku

Durante a Trilha Inca, é possível encontrar algumas seções realmente íngremes. Os bastões de caminhada são uma excelente opção para aqueles que não têm resistência nos joelhos, por causa de uma lesão ou para aqueles que não tiveram muito tempo para treinar o corpo. Nesse sentido, podemos entender os bastões de caminhada como uma ferramenta ideal para caminhadas. Neste breve artigo, queremos falar sobre esses itens de caminhada que muitas vezes são negligenciados. Às vezes, porque eles parecem mais um incômodo do que uma ajuda propriamente dita. Fique aqui para saber mais sobre esses itens e se eles são realmente necessários para a Trilha Inca de 4 dias.


O que são bastões de trekking?

Os bastões de caminhada também são conhecidos como bastões de trekking. Ele é considerado um acessório comum para quem faz caminhadas regularmente. Entretanto, ele tem seus detratores e, portanto, alguns defensores. Antes de entrar nos detalhes desse acessório, é importante observar que ele serve principalmente como ponto de apoio, melhora o ritmo da caminhada e permite maior estabilidade em terrenos difíceis. Portanto, os bastões de caminhada são realmente funcionais, embora possam ser desconfortáveis para alguns. Entretanto, existem alguns que podem ser ajustados em altitude e de acordo com a altura do usuário para maior conforto.

Os bastões de caminhada foram criados como uma forma de diminuir a dor nos joelhos, especialmente em terrenos em subida. Eles servem como dois pontos extras de apoio e impulso, além da simples passada em um pé só. Dessa forma, a força necessária é distribuída ao caminhar ou, mais precisamente, ao subir escadas. Esse é o mecanismo pelo qual as pernas podem usar menos força e, portanto, gerar menos desgaste. Por outro lado, ele também pode ser usado como suporte ou estabilizador para o campo; se ocorrer uma lesão, ele pode ser usado como tala para aplicar pressão. Outras maneiras de usá-lo serão para estabilizar algumas câmeras e também pode ser usado para defesa contra ataques de animais ou situações semelhantes; algo muito raro durante a Trilha Inca.

Antes de nos aprofundarmos no uso de bastões de caminhada, queremos falar sobre as diferentes opções que você pode encontrar. Há alguns bastões de três corpos, que são, em sua maioria, menos incômodos e fáceis de guardar. Alguns deles não são ajustáveis, portanto, é preciso ter cuidado ao comprá-los. Os outros bastões são de comprimento total ou telescópicos. Elas podem ajustar a altura da bengala com mais precisão e segurança. Os outros bastões precisam ser dobrados, o que às vezes pode ser um problema. No caso da Trilha Inca, você pode usar ambos, pois a seção geralmente não é estritamente ascendente. Mas, se você quiser mais estabilidade, os bastões telescópicos são a melhor opção. Ao guardá-las, o ideal é que sejam presas à mochila ou penduradas na mochila.


Como usar bastões de trekking?

Agora que conhecemos os dois tipos de bengalas, é importante saber como usá-las de forma eficaz. Só então poderemos entender sua funcionalidade para que não tenhamos nenhum problema ao usá-las. Embora não haja muita ciência nisso. O importante é usar a alça de pulso para gerar menos força ao carregá-las ou simplesmente segurá-las com as mãos. Ao caminhar, basta dar os mesmos passos ou passadas de uma caminhada normal. Só que, dessa vez, você precisa se apoiar levemente nos bastões para gerar mais tração. Em resumo, o movimento natural da caminhada é seguido.

Se você estiver com pressa e o terreno for plano ou nivelado, é aconselhável gerar pequenas oscilações na vara para ajudar na tração de forma mais dinâmica. Somente dessa forma, será possível sentir o impulso dos bastões. Em declives, ao subir, é importante usar os bastões ao mesmo tempo e apoiá-los juntos. Dessa forma, o impulso será sustentado pelos braços e pela perna de apoio, distribuindo a força entre os três pontos. Por outro lado, se estiver em uma rota de descida, é importante dar mais altitude aos bastões para reduzir a tensão da descida.

Por outro lado, as varas são projetadas para funcionar em pares, caso você esqueça uma delas ou ela se quebre. É aconselhável usá-lo com cautela e de outra forma. Se possível, evite-o, mas ele pode ser uma excelente opção para seções de subidas e descidas, pois pode servir como ponto de apoio. Entretanto, deve ser usado com cuidado, pois pode desequilibrar ou causar outras dificuldades se não for usado corretamente.

Ao usar as bengalas, deve-se criar um ângulo de 90° com o solo. Os bastões são confortáveis de usar graças às alças de borracha e o peso médio dos bastões está entre 250 e 300 g. Não segure as alças dos bastões com força, pois isso só vai cansá-lo. Use a força somente quando necessário. Se você se encontrar em um terreno muito difícil, o que não será o caso na rota para Machu Picchu na Trilha Inca, terá de parar de usá-los e se equilibrar com as mãos. Por esse motivo, recomenda-se o uso de bastões de caminhada na Trilha Inca, seja em uma caminhada de 4 ou 2 dias. A rota é fácil e não tem seções extremamente complicadas ou difíceis.


Bastões de trekking na Trilha Inca para Machu Picchu

Como já mencionamos, recomendamos o uso de bastões de caminhada na rota da Trilha Inca para Machu Picchu. Isso porque, embora o terreno seja plano, às vezes encontraremos seções ascendentes compostas de escadas ou simplesmente um caminho ascendente. Os bastões de caminhada serão de uso vital para esses momentos. Recomenda-se o uso de bastões de caminhada qualificados para evitar acidentes. Tente também evitar aqueles que são muito simples e acabam servindo apenas para uma rota e depois são descartados.

Durante a trilha para Machu Picchu, é provável que os bastões de caminhada sejam usados com mais frequência a partir dos primeiros 3 dias. Nos dois primeiros dias, de Piscacucho a Pacaymayo, você inicia uma rota ascendente. Nesse sentido, os bastões de caminhada serão de vital importância. Isso também se deve ao fato de que em algumas agências o turista é responsável por sua própria bagagem, mochila ou pertences. Ao usar bastões de caminhada desde o início, você poderá reduzir relativamente o peso sobre os joelhos e, portanto, resistir melhor à tração do movimento. Isso se você tiver algum problema no joelho.

O segundo dia também abrange uma rota de subida. É ainda mais difícil do que o dia anterior, pois é considerado o dia mais difícil. Nesse dia, você chegará à passagem Warmiwañuska. Durante essa árdua caminhada, você sentirá como os bastões funcionam e como eles ajudam na caminhada. Nesse dia, você chegará a 4200 metros acima do nível do mar. Depois disso, você começará um longo trecho de descida, portanto, também é aconselhável ter bastões de caminhada. No último dia, você seguirá uma trilha plana e descendente. Nesse dia, você provavelmente não precisará de bastões de caminhada, mas, em caso de lesão, eles serão muito úteis.

Trilha Inca para Machu Picchu
Trilha Inca para Machu Picchu
 

Bastões de trekking em outras rotas de caminhatas para Machu Picchu

Como na seção anterior, os bastões de trekking são muito úteis. Especialmente nas rotas nos Andes de Cusco. Nesses locais, é preciso caminhar por longos trechos de subida até entrar na selva alta. Todas as rotas de trekking para Machu Picchu permitem um encontro entre duas geografias diferentes. O encontro com a vegetação abundante típica da selva alta permite que as rotas sejam mais leves e até mais fáceis de fazer, pois são feitas em trilhas que passam por manutenção regularmente. Também é possível encontrar alguns trechos escorregadios, principalmente na época das chuvas. Por outro lado, as trilhas geralmente começam nos Andes de Cusco, locais com pouca vegetação.

As rotas de trekking mais populares para Machu Picchu são a Salkantay Trek e a Inca Jungle, claro que não estamos contando com a clássica rota da Trilha Inca. Essas duas opções seguem uma rota comum a partir da Hidroeléctrica. A Hidroeléctrica é outra rota para Machu Picchu. Na primeira rota que mencionamos, é aconselhável fazer o percurso com bastões de trekking. Isso ocorre porque ela tem uma seção ascendente que se conecta com a passagem da montanha Salkantay. A rota até esse local é longa e também exige um grande esforço dos joelhos. Caso você se atreva a fazer essa rota, é 100% recomendado que faça a trilha com esses acessórios de trekking.

Finalmente, a rota mais impressionante que se conecta a Machu Picchu e, ao mesmo tempo, é a mais longa, é o Choquequirao Trek. Essa rota pode ser feita em 7 dias de trekking árduo e através de diferentes geografias. Os primeiros dias de trekking são rotas combinadas de seções de subida e descida. Caso esteja prestes a fazer o Choquequirao Trek, recomendamos que o faça com a ajuda de bastões de trekking para evitar fadiga muscular, cãibras ou algo semelhante. A seção é exigente, especialmente para aqueles que não tiveram preparação física anterior. No entanto, é aconselhável usar bastões de caminhada, mesmo que você tenha se preparado bastante. É sempre bom ter um pouco mais de energia em caso de emergência.

Caminhada até a Lagoa Humantay
Caminhada até a Lagoa Humantay
 

 

De Inca Trail Machu Picchu - Ultima atualização, 19-03-2024


Interessado na Trilha Inca? Saiba mais sobre Informações Trilha Inca!